fbpx

Quem paga a conta?

Há tempos, na época de nossos avós, era regra: em um encontro, jantar ou até mesmo naquela saidinha casual, quem pagava a conta era o homem. Mas será que de lá para cá as coisas mudaram tanto assim?

Uma pesquisa realizada com 17 mil participantes da Universidade Chapman e do Wellesley College, nos Estados Unidos, investigou a opinião de homens e mulheres sobre quem deve se encarregar das despesas dos primeiros encontros do casal.

Na prática, o que se observou é que ainda existe um pensamento bastante tradicional, apontando que 84% dos homens e 58% das mulheres relataram que os homens ainda pagam pela maior parte das despesas, desde o primeiro encontro, e esse comportamento continua, mesmo depois de alguns meses de relacionamento.

E, mesmo que 57% das mulheres afirmem se oferecer para dividir a conta, 39% delas confessam esperar que ele não aceite a ajuda.

Mas o mais interessante disso tudo é que, em tempos em que o feminismo é cada vez mais protagonista, 44% das respondentes da pesquisa disseram se sentir incomodadas quando um homem espera que elas ajudem a pagar a conta. Talvez o que ocorra ainda seja uma passividade muito grande por parte delas, que não tomam a iniciativa em convidar nem em pagar.

Mas, afinal, quem paga?

Vale lembrar que hoje o mundo não é mais como era antigamente. As relações mudaram, e as responsabilidades financeiras também. Se antes a mulher assumia o papel de donzela indefesa, à espera do príncipe endinheir… encantado, hoje, a realidade é bem outra, e nela impera a empatia e o bom senso.

E vamos combinar que uma mulher segura, independente e parceira na hora de rachar aquela conta da balada ou do restaurante pode ser bastante interessante.

Nada contra os homens que ainda preferem arcar com as despesas do casal, mas isso deve ser uma escolha, e não falta de opção.

Via de regra, falando em etiqueta, quem convida é quem paga, mas quando se trata de um relacionamento, as coisas podem ser levadas de maneira mais colaborativa, afinal, como diz o ícone do feminismo: We Can Do It!

Postado 16 de Novembro de 2018
Por Gisele Meter

Posts Relacionados

Como ter um bom planejamento financeiro pessoal

Finanças|

Aprender a se planejar e ter uma boa educação financeira é fundamental para não fazer parte da estatística de brasileiros endividados. Para isso, a Especialista em Planejamento de Vida e Finanças Pessoais Fernanda Prado recomenda algumas ações que o ajudarão em seu planejamento.

As donas do dinheiro

Finanças|

Segundo a Bovespa, a participação feminina cresceu 42% nos últimos 11 anos, porém muitas mulheres ainda têm crenças limitantes como “ganho pouco”, “gasto demais” e “não sei investir”.

2018-12-21T09:29:11-03:00