fbpx

San Andrés – O Paraíso Colombiano

Nathalia Tosto é editora e fundadora do blog Coisas que Amamos. Essa carioca completamente apaixonada por viagens já esteve em mais de 35 países. Nathalia conta para a Woods Magazine sua experiência na ilha colombiana de San Andrés.

Wanderlust, essa foi a última tatuagem que eu fiz. Significa “Forte desejo de viajar ou conhecer o mundo”. Nada mais adequado a mim, pois sou uma dessas pessoas viciadas em viagem. Acredito que conhecer lugares novos, culturas diferentes, pessoas de fora me enriquece e me faz feliz.

Resolvi conhecer um novo país. Minha mãe e eu aproveitamos uma das muitas passagens em promoção para a Colômbia e nos mandamos para San Andrés. Ela compõe um grupo de 3 ilhas: San Andrés, Providência e Santa Catalina, e, apesar de estar bem mais perto da Nicarágua, a apenas 200 quilômetros de lá, pertence à Colômbia, que fica a mais de 700 quilômetros de distância. Desde Cartagena, uma das cidades mais famosas da Colômbia, o voo dura pouco mais de 1 hora e 20 minutos. Quem voa direto do Panamá, em menos de 50 minutos chega ao paraíso.

Ao todo, a ilha tem aproximadamente 88 mil habitantes, e a língua falada oficialmente por lá é o espanhol, mas é muito comum ouvir os nativos conversando em criollo (uma mistura de inglês e francês). Se você não fala nenhuma dessas línguas, não precisa se preocupar, o português é bastante aceito por lá, principalmente pelo número crescente de brasileiros que visitam a ilha. E, claro, nos locais turísticos, é possível se comunicar em inglês também.

Eu resolvi me hospedar no centro, e acho que foi a opção mais acertada para mim. Não consideraria ficar em hotel all inclusive por lá. Os passeios mais interessantes são afastados da ilha principal, e as praias mais bonitas não são as dos hotéis. A escolha depende do seu estilo de viagem e budget.

Aliás, algo que me impressionou muito nessa viagem foi o valor. Achei os preços bastante acessíveis por lá. Principalmente se considerarmos que, em geral, tudo em uma ilha é mais caro do que o normal.

Johnny Cay, Acuário e passeio de mulita

Nossa primeira parada foi em Johnny Cay, uma microilha que fica em frente à principal rua da cidade. Em minha opinião, um dos lugares mais bonitos de San Andrés. O mar de sete cores é claramente observado em Johnny Cay. Acho que o lugar tem o seu charme e é lindo demais.

No nosso segundo dia, fomos visitar o famoso Acuário. Assim como Johnny Cay, o lugar também estava tomado pelos turistas, porém, indo mais para um lado ou para o outro da ilha é possível curtir o mar completamente sozinho. Nesse programa, você também vai andando até Haynes Cay, uma ilhota vizinha bem linda. É muito agradável dar uma voltinha a pé observando os corais que cercam a ilha.

No único dia que pegamos tempo meio nublado, optamos por fazer o famoso passeio de mulita. Para quem não conhece, a mulita nada mais é do que um carrinho de golfe turbinado. O pequeno veículo não anda tão devagar quanto o carrinho de golfe, nem tão rápido quanto um carro. Ou seja, não espere passar dos 45 km/h nesse passeio.

Alugamos nossa mulita em uma locadora bem em frente ao hotel. Aliás, não se preocupe com isso, o que não faltam são locadoras espalhadas pela cidade. A única (e principal) dica que eu posso dar é: optem por uma mulita mais novinha, com retrovisores. Sim, fiquem atentos a isso. A minha não tinha, e era uma emoção conseguir mudar de pista ou virar nas ruas. O aluguel para um dia inteiro custa entre U$ 50 e U$ 90.

O passeio de carrinho de golfe ou mulita é bacana para ver outras partes da ilha não tão conhecidas e/ou frequentadas pelos turistas. Além disso, você passa pela parte menos turística, onde os moradores locais vivem, vê as casinhas coloridas em que eles moram, identifica o comércio local e começa a enxergar uma San Andrés bem diferente do que tinha visto até então. E, como você está no controle, dirigindo o seu próprio carrinho, pode ir parando sempre que avistar uma paisagem bonita ou achar que vale a pena dar uma estacionada para apreciar a vista.

Nessa volta pela ilha, você vai passar por diversos pontos turísticos bem famosos, entre eles as piscinas naturais: La Piscinita e West View. No geral, as duas são bem parecidas. São uma pequena baía natural onde os turistas pagam para mergulhar, alimentar os peixes e usufruir de alguma estrutura, como escorrega, trampolim e espreguiçadeiras.

Piscinas naturais

O local é lindíssimo, e sem dúvida você não vai se arrepender de parar por ali. O segredo é: chegue cedo. Quanto antes melhor. Assim, você consegue fugir um pouco do mundo de turistas que lota esses lugares ao longo do dia e pode nadar com mais tranquilidade, admirando a vida marinha e o mar azul-royal logo abaixo de você.

Outro ponto de interesse nessa volta à ilha é o Hoyo Soplador, uma fenda nas pedras que ficam debruçadas no mar, por onde a água sobe, molhando todos que estão por ali. O fenômeno só acontece nos horários em que a maré está alta, quando “sopra” a uma altura de até 5 metros. Os turistas vão à loucura!

A beleza de Rocky Cay e… comprinhas!

E se o assunto ainda são os lugares lindos para ver em San Andrés, não posso deixar de comentar sobre a praia de Rocky Cay. Ela é exatamente aquilo que qualquer um imagina a respeito de uma praia maravilhosa: areias brancas, mar calminho, água cristalina em vários tons de verde e um serviço impecável.  Quer mais? Para deixar esse programa ainda melhor, bem em frente à praia de Rocky Cay fica uma microilha com um navio naufragado que é possível alcançar caminhando pela água.

Mas nem só de praia e mar vive San Andrés. Afinal, quem não pensa nas comprinhas que atire a primeira pedra. A cidade é zona franca, ou seja, não tem impostos, isso significa que gastar seu dinheiro por lá vai valer muito a pena. Entre os principais atrativos da ilha estão as bebidas e as maquiagens, que são incrivelmente mais baratas que no Brasil e no Duty Free também.

Ufa! Acho que consegui contar um pouquinho do que eu vi e vivi por lá. Sem dúvida, é um passeio especial que deixa boas recordações na memória e muitas fotos lindas no álbum.

21 de Fevereiro de 2019
Por Nathalia Tosto

Posts Relacionados

Aloha, Havaí!

Destino Certo|

Cinthia Paranhos é ex-publicitária e ex-empresária, e atualmente viaja o mundo fotografando o mar, ondas gigantes, céus estrelados, neve e auroras boreais. Ela adora o Havaí e conta para a Wood’s Magazine o que mais a encanta nessa região conhecida pelas ondas e seus cenários paradisíacos.

San Andrés – O Paraíso Colombiano

Destino Certo|

Nathalia Tosto é editora e fundadora do blog Coisas que Amamos. Essa carioca completamente apaixonada por viagens já esteve em mais de 35 países. Nathalia conta para a Woods Magazine sua experiência na ilha colombiana de San Andrés.

A natureza selvagem da Namíbia

Destino Certo|

A fotógrafa e viajante Cinthia Paranhos fez uma viagem para a Namíbia. Ela escolheu o país pelas paisagens inóspitas do deserto e a possibilidade de ver muitos animais selvagens.

2019-03-07T16:22:43+00:00