fbpx

Confira como foi a experiência da designer Gabriela Emmerich em Cinque Terre

Eu estava morando na Itália havia alguns meses e até então tinha vivenciado apenas o frio da Europa. Com o término do inverno, veio a vontade de curtir o sol, então, juntamente com duas amigas – uma francesa e outra russa –, decidi conhecer a região de Cinque Terre.

O pouco que eu sabia sobre esse destino é que eram cinco cidades ligadas por áreas montanhosas, o que me dava certa aflição, pois tenho medo de altura. Para complicar ainda mais, quem fez as reservas de hostel, passagens e o itinerário foram as minhas amigas, pois a ideia era que fosse uma surpresa para mim, que estava acostumada a sempre planejar tudo. Agora era a hora de me desafiar a experimentar algo inédito, e eu topei o desafio.

E adorei!

Ficamos três dias viajando, e realmente me surpreendi com o que vi. Paisagens lindas, cenários bucólicos e uma sensação de estar em contato com a natureza, com a vida simples, totalmente diferente dos ambientes urbanos das grandes cidades italianas a que estava acostumada. Fica difícil descrever em palavras e imagens, mas vamos tentar!

Para começar, ficamos em um hostel em uma montanha – Ai, meu coração! Para chegar lá, tivemos que descer em La Spezia, ir até Rio Majore e de lá pegar um transporte que nos levaria ao topo da montanha. Detalhe: Esse transporte tinha horários específicos, saía no início da manhã e voltava para o hostel somente à noite. Então o negócio era se preparar para um dia inteiro de aventuras.

O primeiro dia:

Uma caminhada sem igual

Assim que chegamos, decidimos conhecer os vilarejos a pé. Você pode optar por fazer a travessia utilizando algum meio de transporte, como trem ou barco, mas nós acreditávamos que a pé poderíamos aproveitar melhor a paisagem. E estávamos certas! Na subida, é possível ver as plantações, os moradores da região com seus afazeres, descobrir coisas fantásticas, como uma capela em homenagem a Giuseppe Garibaldi, ver uma porção de gatossério, foi a maior quantidade de felinos que já vi juntos na vida! – e, claro, a cereja do bolo: chegar ao topo da montanha e avistar o vilarejo. São cidades lindas, com muitas cores, barquinhos, roupas estendidas nos varais. Parecia que eu estava diante de um cenário de cinema.

Na primeira cidade, chamada Monterosso, chegamos ao centro da vila. Havia um pátio enorme, com vários bares e um senhor tocando  Bossa Nova na rua – me senti em casa! Comemos calamares e outros frutos do mar, comida típica da região devido à forte atividade pesqueira.

Confesso que o medo de altura me acometeu durante todo o trajeto, principalmente quando estava no alto da montanha e, ao olhar para baixo, avistava apenas o mar. Mas tudo era recompensado com a vista do lugar. Muito linda! Demora-se aproximadamente duas horas para fazer a travessia de uma cidade a outra.

O segundo dia:

Incidentes e um passeio inesperado

Infelizmente, um incidente climático provocou o bloqueio do acesso às outras duas cidades que faltavam para completar o passeio por Cinque Terre. Ficamos frustradas com a notícia, mas aproveitamos o dia maravilhoso para curtir a praia. Alguns moradores indicaram uma pequena cidade – Levanto –, onde havia uma praia maravilhosa, então decidimos ir até lá. Ao entrar na água, vimos alguns moradores fazendo gestos, como se estivessem indicando algo, mas não entendemos, foi quando olhei para baixo e vi vários ouriços. Resultado: nós três nos machucamos e passamos o resto do dia mancando. Mas tudo era tão lindo que nem mesmo a dor atrapalhou, e ainda fizemos um piquenique delicioso na cidade.

O terceiro dia:

Rio Majore e o casamento do capitão

No último dia de viagem, deveríamos nos preparar para ir embora, então decidimos explorar mais a cidade de Rio Majore, que ficava próxima ao hostel. Tomamos um maravilhoso café da manhã e almoçamos em uma pequena casa de massas local. Passeando pela cidade, fomos presenteadas com a cerimônia de casamento de um capitão, momento para tirar muitas fotos. Voltando a La Spezia, conhecemos vários cafés e conferimos uma orquestra tocando diversos temas de filmes, em uma praça.

No fim do dia, era hora de dar adeus ao local, e ficamos com o coração partido. A vontade que dá é trazer a cidade junto, mas as fotos nos ajudaram a guardar um pouco dos cenários e dos bons momentos que vivemos naqueles três dias.

Foi uma experiência incrível por diversos motivos: estar em contato com uma cultura totalmente diferente, viajar ao lado de duas pessoas de países distintos e com tanta riqueza de experiências, enfrentar o medo de altura e, principalmente, deixar a vida me surpreender e vivenciar a emoção do inesperado.

Para quem quiser conhecer a região das Cinque Terre, recomendo que faça a caminhada. Pode parecer cansativa, mas é a melhor forma de apreciar todos os detalhes incríveis do local. Não se esqueça de levar água e calçados apropriados para a caminhada, e também para dar um mergulho na praia.

E, principalmente, vá de mente e coração abertos para a beleza e encanto dessa região surpreendente.

28 de Outubro de 2019
Por Gabriela Emmerich

Posts Relacionados

San Andrés – O Paraíso Colombiano

Destino Certo|

Nathalia Tosto é editora e fundadora do blog Coisas que Amamos. Essa carioca completamente apaixonada por viagens já esteve em mais de 35 países. Nathalia conta para a Woods Magazine sua experiência na ilha colombiana de San Andrés.

2019-10-28T17:20:44-03:00