fbpx

Em novo álbum ”Thank u, next”, Ariana Grande desabafa e prova que pode superar qualquer coisa | Crítica

Em menos de dois anos, Ariana Grande precisou fazer jus ao seu sobrenome, além de ser forte. Fãs da descendente de família italiana, sofreram, em maio de 2017, um ataque terrorista, após saírem de uma apresentação da ”Dangerous Woman Tour” em Manchester, na Inglaterra. Uma bomba explodiu perto da Manchester Arena, deixando 22 mortos e 50 feridos. Em 2018, a cantora lançou o álbum ”Sweetener” com algumas referências ao atentado e sobre como ela se sentia em relação ao acontecido. Em paralelo, Ariana vivia um relacionamento conturbado com o rapper Mac Miller, com quem namorou por mais de um ano e meio. Em março de 2018, o relacionamento acabou. Em maio, ela ficou noiva do comediante Pete Davidson. Em setembro do mesmo ano, o ex-namorado, Mac Miller, morreu em casa de overdose e em outubro, um mês depois, Ariana terminou o noivado com Davidson.

Ninguém esperava um álbum depois desse turbilhão de acontecimentos e sentimentos pelos quais Ariana Grande passou, mas em novembro de 2018, a americana lançou o single ”Thank u, next”, dando uma aula de amor próprio, fazendo referência sobre sua recuperação e sobre seus ex-namorados – não só Miller e Davidson, mas também Big Sean e Ricky Alvarez (deixando de fora Nathan Sykes).

Para a alegria dos fãs e um alívio interior, Ariana Grande lançou no último dia 8 de fevereiro, o novo álbum de estúdio intitulado ”Thank u, next”. Todas as 12 faixas foram compostas pela cantora em parceria com outros compositores como Max Martin e Savan Kotecha.

Nessa nova fase, Ariana engloba o tema ”amor” em praticamente todas as faixas, mostrando que, apesar de tudo, algo de bom sobrou de todos esses acontecimentos. As letras são profundas e dizem muito sobre o período em que a cantora precisou mostrar a si mesma que consegue seguir em frente. ”Sweetener” foi superado e já pode ser considerado uma fase passada – mesmo que ela tenha prometido aos fãs uma turnê para essa era em conjunto com ”Thank u, next” ainda para esse ano. Outro ponto em relação às composições são que, em comparação com ”Sweetener”, as letras não estão tão fortes; a segurança em si mesma foi abalada depois de tudo que a cantora passou. Ariana diz em mais de uma canção que passou por muita coisa e precisa de um espaço para colocar as coisas no lugar e se reorganizar interiormente – o que parece que esse tempo significou escrever as canções do álbum ”Thank u, next” e relaxar.

Além de tudo isso, as batidas e ritmos do novo projeto estão diferentes de outros trabalhos e mostram que, apesar de ser um álbum de desabafo, Ariana Grande continuou pensando na área comercial testando alguns elementos dos quais já sabia que poderiam elevar o novo trabalho a patamares mais inalcançáveis. Claramente, Ariana pegou todas as suas referências R&B e misturou com elementos antigos e novos para chegar a resultados como ”Imagine”, ”NASA”, ”Bloodline” (que tem um acréscimo de instrumentos de sopro), ”In my head” e ”7 rings”.

Não é a toa que a cantora alcançou o topo das paradas mundiais de álbuns nas primeiras 24 horas após o lançamento. Ariana Grande ainda tem muito o que falar e mostrar ao mundo – e não é só sobre seus relacionamentos. A cantora provou com ”Thank u, next” que esse é só começo de uma nova Ariana Grande que o mundo precisa conhecer.

Texto: Lola Dias

Foto: Reprodução/Divulgação

Postado 11 de fevereiro de 2019

Posts Relacionados

Alita: Anjo de Combate | Crítica

Drops|

Lola Dias comenta a nova produção da Fox Films, que tem James Cameron como um dos produtores e roteiristas. ''Alita: Anjo de Combate'' estreia nos cinemas no dia 14 de fevereiro.

2019-02-12T17:59:45+00:00