fbpx

Christina Aguilera desabafa: “a indústria da música é cheia de homens mais velhos com segundas intenções”

Christina Aguilera é uma das mulheres icônicas e lendárias do mundo pop. Seu desabafo sobre a indústria da música é chocante, porém não chega a ser novidade.

Aos 38 anos e duas décadas de carreira, Christina Aguilera é uma mulher forte e decidida, sem deixar que seja manipulada. Mas no passado, nem sempre foi assim. Ela começou na indústria muito nova e, em entrevista, ao The Sunday Times, foi muito sincera sobre como sofreu na mão de homens com “segundas intenções”.

“Era um negócio com tantos lobos. Homens mais velhos que tinham outras intenções”, relembrou ela. “Quando você é tão jovem chegando em um negócio dirigido por homens, vai ver os lados mais sombrios das coisas e ouvir como os homens falam sobre mulheres, como eles falavam sobre meus seios”, continua.

“Olho para mim mais jovem e sinto que precisava de um abraço, quero dizer a ela que nem todos os homens são assim”, reflete. “Quando as pessoas simplesmente aceitam e dizem: ‘Bem, você sabe, meninos serão meninos’, eu discordo. Porque eu sinto que os homens devem ser responsabilizados”.

A cantora acredita que é importante reconhecer que as mulheres “não são apenas criaturas unidimensionais que devem apenas ser vistas em sexualidade do ponto de vista de um homem”.

Refletindo sobre sua própria evolução no mundo da música, ela disse: “Aquele primeiro álbum era eu sendo uma marionete, fazendo o que a gravadora queria que eu fizesse e sendo numa época em que a explosão pop era super grande. E é divertido olhar para trás agora, porque você tem Kylie Jenner, você tem Miley Cyrus, pessoas reinventando o visual dos caras, pelas quais eu definitivamente fico muito acalorada”.

Para a cantora, os motivos para se posicionar como uma mulher forte vieram da história familiar. “Mas eu estava interessada em abrir essa conversa na época, confortável em minha própria pele, compartilhando essa sexualidade e parte de mim”, disse. “Se você olhar para o meu corpo de trabalho e as decisões que tomei, verá que tem sido muito progressiva. Coragem é algo que eu sempre quis porque vi minha mãe em muitas posições em que ela era fraca e muito dominada. Essa foi uma das minhas decisões como mulher, de que nunca me sentiria impotente para um homem”, completa.

Posts Relacionados

Posts Relacionados

2019-10-15T14:07:05-03:00