fbpx

“Albatroz”, longa com roteiro de Bráulio Mantovani e direção de Daniel Augusto, estreia em 7 de março nos cinemas

Albatroz”, novo longa-metragem da Loma Filmes, com coprodução Globo Filmes e Telecine e distribuição Paris Filmes e Downtown Filmes chega aos cinemas no dia 07 de março. O suspense tem direção de Daniel Augusto (de “Não Pare na Pista – A Melhor História de Paulo Coelho”) e roteiro de Bráulio Mantovani (de “Cidade de Deus” e “Tropa de Elite 1 e 2”). Colaboraram  no roteiro Fernando Garrido e Stephanie Degreas, que  trabalharam anteriormente com Mantovani na série “A Teia” da TV Globo.

Protagonizada por Alexandre Nero, que interpreta o fotógrafo Simão, a narrativa apresenta descobertas recentes da neurociência para tecer uma trama de suspense que ultrapassa as fronteiras entre a realidade, o sonho e o delírio. Casado com Catarina (Maria Flor), Simão se apaixona pela atriz judia Renée (Camila Morgado), com quem viaja a Jerusalém. Ali, o fotógrafo registra um atentado terrorista frustrado e misterioso. As fotos do evento o tornam mundialmente famoso, porém, ao mesmo tempo, surgem críticas ferrenhas – inclusive de Renée – à sua atitude: em vez de tentar evitar a tragédia, preferiu fotografar.

Simão sucumbe à depressão e abandona a fotografia, declarando estar interessado apenas em fotografar seus sonhos. Enquanto tenta salvar seu casamento com Catarina, Simão é procurado pela ex-namorada de adolescência, Alícia (Andrea Beltrão). O primeiro amor de sua vida o convida a realizar o desejo de fotografar sonhos no laboratório da neurocientista Dra. Weber (Andréia Horta).

A produção ainda reúne no elenco Gustavo Machado, Marcelo Serrado, Roney Facchini, Bel Kowarick, Paula Picarelli e Martha Nowill.

“Este roteiro deu mais trabalho que qualquer um dos outros quase 30 longas (entre produzidos e inéditos) que escrevi, mas foi também o que mais me deu prazer na escrita”, afirma Bráulio Mantovani. “Estruturar uma narrativa que não segue o paradigma clássico dos três atos obrigou-me a multiplicar por três o meu rigor habitual para chegar à melhor coesão dramática possível. Certamente, também me diverti três vezes mais que de costume. Eu não teria conseguido terminar esse trabalho maluco sem a ajuda dos meus colaboradores no roteiro (Stephanie Degreas e Fernando Garrido), sem as contribuições intelectuais de Daniel Augusto e sem o empenho criativo e a ousadia do montador Fernando Stutz. O que nasceu na minha cabeça como ideia só ganhou forma graças a esses parceiros, a quem sou muito grato. ‘Albatroz’ tem um pouco de psicanálise selvagem, neurociência para leigos e lógica paraconsistente diluída. É um filme “cabeça”? Quase, mas não. No máximo, tão “cabeça” quanto “Strawberry Fields Forever”, dos Beatles. Quer dizer, talvez não. Mas quase.”

Já para o diretor Daniel Augusto foi um privilégio dirigir uma história tão incomum, rica em sutilezas e com uma construção tão rigorosa quanto esta. “Alexandre dá vida a um personagem singular, cuja trajetória oferece enigmas que colocam o espectador num suspense contínuo, sempre provocando-o a decifrar as múltiplas camadas de sentido que buscamos em cada cena. O filme é como uma história que joga com o prazer de decifrar, dando ao público a oportunidade de interpretar os caminhos e descaminhos dos personagens”, completa.

O filme foi selecionado para o 39º Festival Internacional de Cinema de Porto, para o 40º edição do Festival de Havana, em 2018 e para Indie Pasión iberoamerican Film Festival 2019, em Miami.

Albatroz contou com recursos da ANCINE / Fundo Setorial do Audiovisual / BRDE, do BB DTVM, do BRB DTVM, Globo Filmes e Telecine.


Sinopse

Casado com Catarina, Simão se apaixona pela atriz judia Renée, com quem viaja a Jerusalém. Ali o fotógrafo registra um atentado terrorista frustrado e misterioso. As fotos do evento o tornam mundialmente famoso ao mesmo tempo em que ele é bombardeado por questionamentos éticos: poderia tentar salvar uma vida, mas preferiu fotografar uma tragédia. Simão sucumbe à depressão e abandona a fotografia, declarando estar interessado apenas em fotografar sonhos. Enquanto tenta salvar seu casamento com Catarina, Simão é procurado por Alícia, a primeira namorada da adolescência, que o convida a realizar uma experiência no laboratório da neurocientista Dra. Weber. A proposta, porém, logo se revela uma terrível armadilha.

Ficha Técnica

Escrito por: Bráulio Mantovani

Co-roteiristas: Fernando Garrido e Stephanie Degreas

Direção: Daniel Augusto

Elenco: Alexandre Nero, Andrea Beltrão, Andreia Horta, Camila Morgado, Gustavo Machado, Maria Flor, Roney Facchini

1º Ass. de Direção: Janaina Cabello

Produtores: Carolina Kotscho, Bráulio Mantovani

                     Clara Ramos, Fernando Nogueira, Heloisa Jinzenji, Renato Klarnet

Produção Executiva: Clara Ramos

Direção de Produção: Raissa Drumond

Produção de elenco: Alessandra Tosi
Produtor Associado:
José Alvarenga Jr.

Direção de fotografia: Jacob Solitrenick

Direção de arte: Juliana Lobo

Figurino: Manuela Mello e Fernanda Marques

Montagem: Fernando Stutz

Texto: Paris Filmes

Foto: Reprodução/Divulgação

Postado 14 de fevereiro de 2019

Posts Relacionados

‘‘Assunto de família’’ mostra outra realidade do Japão

Drops|

O filme vencedor de uma Palma de Ouro tem uma história para contar. No começo de ‘‘Assunto de Família’’, o telespectador pode sentir uma certa estranheza por conta de uma cultura oriental mostrada no longa. Estamos tão acostumados com grandes produções de Hollywood que, quando Hirokazu Kore-eda nos apresenta, à primeira vista, a simplicidade de uma família tradicional japonesa, ficamos assustados e, de certa forma, um pouco incomodados. O subúrbio japonês retratado em ‘‘Assunto de Família’’ mostra aos ocidentais mal-acostumados com o falso glamour do lado de lá do globo terrestre, que há semelhanças entre a pobreza oriental e ocidental.

2019-02-18T14:44:16+00:00