Cirurgia da coluna vertebral: Como a tecnologia pode auxiliar na colocação de parafusos pediculares

O uso da robótica e da navegação por computador na cirurgia da coluna vertebral está se expandindo rapidamente. 

Muitos procedimentos cirúrgicos minimamente invasivos, como as cirurgias endoscópicas, conhecido popularmente como cirurgia por vídeo na coluna, estão minimizando o impacto nas salas de operação e fazendo com que o pós-operatório dos pacientes seja mais rápido e menos doloroso. 

Um número crescente de hospitais e cirurgiões de coluna está adotando a tecnologia, que visa aumentar a precisão, exatidão e previsibilidade.

O tempo de cirurgia é diminuído

As principais barreiras para a implementação das novas tecnologias incluem tempo adicional na sala de cirurgia e preocupações quanto à colocação precisa dos parafusos pediculares. 

Muitas cirurgias da coluna vertebral requerem o uso de ferramentas, como parafusos pediculares, para estabilizar a coluna, e o posicionamento preciso é fundamental.

Um estudo foi lançado para avaliar a precisão da tecnologia robótica e assistida por navegação na colocação de parafusos. 

A pesquisa também se propôs a determinar o tempo extra necessário na sala de cirurgia, observando que há uma curva de aprendizado para uma equipe cirúrgica ao implementar um novo sistema.

Colocação de parafusos mais precisa 

A principal descoberta foi que o posicionamento do parafuso era muito preciso e o tempo adicional necessário para adotar essas tecnologias na prática era pequeno. 

Em todo o estudo realizado, a velocidade de colocação do parafuso robótico mostrou melhora nos primeiros casos.

A pesquisa incluiu 65 pacientes adultos (idade média de 59) com patologia degenerativa lombar que se submeteram a uma fusão espinhal posterior com navegação robótica de junho de 2019 a julho de 2020. 

Um total de 364 implantes de parafusos pediculares instrumentados foram planejados roboticamente..

O tempo de robótica / navegação na sala de cirurgia, os tempos de colocação dos parafusos e os tempos de posicionamento foram registrados. 

Após a colocação do parafuso, todos os pacientes foram submetidos a fluoroscopia 3D no intra-operatório e a trajetória do parafuso foi comparada a uma imagem de TC pré-operatória. As razões para a conversão da navegação robótica para a técnica k-wire ou à mão livre foram registradas.

A tecnologia não substitui os médicos

O cirurgião de coluna no estudo tinha mais de 10 anos de experiência e colocou milhares de parafusos com técnicas anteriores, de modo que ele tinha alternativas se fosse determinado que a colocação assistida por robô de um parafuso não seria possível

É importante notar que o robô pode ser um ‘assistente’ valioso, mas não substitui a experiência cirúrgica e o bom senso.”

O tempo médio por colocação do parafuso foi de 3,6 minutos roboticamente versus 3,7 minutos à mão livre, com uma diminuição significativa no tempo entre os primeiros 10 e os últimos 10 casos: 5,5 minutos versus 2,3 minutos. 

A configuração do sistema de navegação robótica na sala de cirurgia mostrou uma diminuição no tempo entre os primeiros 10 e os últimos 10 casos: 9 minutos versus 6 minutos.

Cirurgiões reconhecem o valor da tecnologia

Muitos cirurgiões de coluna reconhecem o valor da tecnologia, mas a preocupação tem sido o tempo adicional necessário na sala de cirurgia.

À medida que avançamos em nosso estudo, descobrimos que isso realmente economiza tempo no centro cirúrgico. 

Os benefícios da tecnologia superam facilmente o tempo adicional necessário na implementação inicial do sistema porque a precisão é incomparável.

Quando avaliado os resultados do estudo, não foi encontrado nenhuma complicação e nenhuma cirurgia de revisão foi necessária.

A equipe cirúrgica aprendeu como usar o robô com sucesso e se tornou mais eficiente com a implantação robótica quando comparada às técnicas convencionais minimamente invasivas e convencionais abertas.

Além disso, a precisão era tão boa quanto, senão melhor do que as técnicas abertas ou convencionais minimamente invasivas , que confirmamos com um estudo de imagem 3D em todos os pacientes durante a cirurgia. 

A tecnologia está revolucionando a maneira como fazemos as coisas e é um momento muito empolgante para ser um cirurgião de coluna.

Veja também: BlueVision: como proteger e evitar a visão embaçada

Comments are closed.